terça-feira, 1 de setembro de 2009

Pensando em adquirir um gato



Alexandre Rossi explica o que você deve levar em consideração antes de fazer a sua escolha Existe um preconceito muito grande com relação aos gatos. Mas, após conhecê-los realmente, muitas pessoas se tornam amantes de tais criaturas.
Sem dúvida nenhuma, os gatos são diferentes dos cães e qualquer pessoa que espere um comportamento igual poderá se decepcionar.

Gatos são mais independentes, donos das próprias vontades -- não se submetem ao ser humano com tanta facilidade. Mas isso não quer dizer que eles não se apegam a pessoas, que são interesseiros e falsos, como muita gente costuma falar.
As diferenças comportamentais entre cães e gatos são fruto do diferente modo de vida que cada um levava.

Os ancestrais dos gatos caçavam animais menores que eles, como ratos e passarinhos. Por isso, podiam caçar sozinhos.

Já os ancestrais dos cães caçavam também animais grandes. Para eles, fazer parte de um grupo era questão de sobrevivência, enquanto que para o gato não era.

Daí vem a necessidade de o cão estar sempre por perto do grupo dele ou de seu "proprietário", enquanto que para o gato nunca existiu essa preocupação.

Mesmo não havendo mais necessidade de caçar para se alimentar, tanto os cães como os gatos mantêm comportamentos que já foram essenciais para a sua sobrevivência.

Independência e apego

Apesar de mais independente, o gato também se apega a pessoas, reconhece os seus proprietários, dá carinho e procura companhia. Há quem julgue os cães dependentes demais, querendo sempre chamar a atenção, nunca dispostos a ficar sozinhos. Pessoas assim podem até se sentir "sufocadas" por cães e encontrar nos gatos uma companhia ideal.

Território

De certa forma, os gatos são até mais territoriais que os cães: a maioria dos felinos não relaxa até conhecer bem seu espaço. Demonstrações de carinho só ocorrem depois de o gato ter se adaptado ao ambiente. Antes disso, estará estressado, preferirá ficar sozinho e, para se desvencilhar, poderá arranhar e morder até mesmo pessoas conhecidas.

Higiene e cheiro

Extremamente limpos, os gatos são quase obstinados por limpeza. Exceto algumas raças de pêlo longo, são capazes de se limpar perfeitamente. Têm instinto de enterrar as fezes e a urina e, por isso, são facilmente treinados a usar uma caixinha de areia como banheiro.

Levar para passear

Facilmente o gato se sente desprotegido em ambiente novo. Por isso, não costuma ser muito fácil passear com ele, pelo menos da mesma maneira que se passeia com um cão. O gato se assusta com mais facilidade, atrapalhando a marcha constante durante o passeio.

Elegantes e discretos

Gatos são de uma elegância notável e se deslocam discretamente. Embora mais silenciosos que os cães, quando não castrados podem se tornar bastante barulhentos na época do cio, tanto machos como fêmeas, emitindo miados longos e contínuos.

Grandes saltadores

Por saltar mais alto e escalar melhor que o cão, o gato escapa com mais facilidade para a rua. Mantê-lo sem acesso à área externa e colocar telas nas janelas são recursos adotados por algumas pessoas para evitar o problema. Mesmo porque, em um apartamento, saltar pela janela ou cair dela pode resultar em acidente fatal.

Cuidado com os móveis

Raspar as unhas é uma necessidade para os gatos. Muitas vezes, eles escolhem estofamentos para fazê-lo. Existem arranhadores no mercado que podem ajudar a preservar a mobília. Mesmo assim, às vezes, é necessário supervisionar o felino até ele aprender a arranhar somente no arranhador.

Vira-lata ou de raça

Existem diversas raças de gatos, algumas mais calmas como o Persa e outras mais agitadas como o Siamês. Os vira-latas também constituem uma boa opção, já que costumam ser saudáveis e resistentes a doenças.

Gatos muito peludos exigem maiores cuidados de limpeza e escovação. Os de pêlo curto raramente necessitam de banho.

Filhote ou adulto

Filhotes são mais brincalhões e demandam mais cuidado, atenção e socialização. Os gatos adultos podem se adaptar perfeitamente a novos ambientes e se tornar bastante apegados a novos donos. Uma vantagem de adquirir um exemplar adulto é que o temperamento já está definido. O filhote ao crescer pode se tornar mais medroso e arredio do que se gostaria.

Macho ou fêmea

Gatos, principalmente machos, podem demarcar a casa com urina. Para evitar que isso ocorra, recomenda-se a castração.

12 comentários:

  1. Acho que no fundo o que vale é adotar sempre, comprar jamais.Ou se for comprar um de raça, que se adote um mestiço também. Lindo post Nana. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adorei ! Mas.. fazer o que? sou fã dos cães rs
    Necessito da necessidade deles... muita independência dói em mim rs
    bj

    ResponderExcluir
  3. Olá, eu gostaria de compartilhar minha triste história e minha tristeza imensa cm vocês...
    faz um mês que perdi meu gatinho, era um gatinho branco, albino, sem rabo e por isso seu nome era Pitoco...um amor de gato!
    ele morreu de uma maneira muito triste, eu e ele sofremos muito.
    ele foi envenenado nas redondezas de minha casa...
    ele passou muito mal, levei ao veterinário, ele foi muito forte tentando sobreviver por três longos e dolorosos dias.
    quando fui no segundo dia visitar, foi a pior coisa que vi na vida, o quanto ele estava sofrendo...miava de um jeito extremamente doloroso...nunca tinha visto tanto sofrimento em minha vida...foi a cena mais triste que vivi na minha vida...não consigo esquecer...
    ele foi um gatinho muito especial, eu e ele nos davámos muito amor e carinho...
    fico extremamente triste e também apesar de querer outro gatinho não vou ter...pois por aqui é muito perigoso e não quero que a história se repita..
    amo vc pitoco e nunca vou te esquecer!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Suzete:
    Sinto muito pelo seu gatinho! por isso que é tão importante a castração e mantê-los dentro de casa... nunca vamos saber quando um ser maldoso vai querer dar veneno a eles :( infelizmente isso é mto comum!!

    ResponderExcluir
  5. Adorei este post. Super esclarecedor. Parabéns! Miaaauuu...

    ResponderExcluir
  6. "os gatos são diferentes dos cães e qualquer pessoa que espere um comportamento igual poderá se decepcionar"

    Perfeito!

    Gatos não são cães que miam :D

    ResponderExcluir
  7. "Cuidado com os móveis
    Raspar as unhas é uma necessidade para os gatos. Muitas vezes, eles escolhem estofamentos para fazê-lo. Existem arranhadores no mercado que podem ajudar a preservar a mobília. Mesmo assim, às vezes, é necessário supervisionar o felino até ele aprender a arranhar somente no arranhador."

    até parece que adianta supervisionar o gato! ele não precisa de plateia pra arranhar os móveis! hahahahahahahaa

    ResponderExcluir
  8. Essas dicas são realmente muito importantes na hora da adoção.
    Muitos pensam só nas coisas boas que a convivencia com um focinho trás mas temos que levar em consideração os prós e os contra.
    Hoje tenho gato e cachorro. Quando o Spike se for, só terei gato, a menos que mude para uma linda casa com quintal.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Este é um comentário-convite.
    Meu blog está completando neste mês um ano " no ar". Para celebrar a juntar gente interessante estou promovendo uma blogagem coletiva.
    Ficarei feliz se você puder participar. Será um modo de divulgar seu espaço e conhecer outros blogs interessantes e que têm algo a dizer.
    Conto por você.
    O link para a inscrição é este:
    http://elainegaspareto.blogspot.com/2009/08/convite-convocacao-pedido-promocao-ou.html
    Elaine

    ResponderExcluir
  10. então, o meu gatinho que foi envenenado era castrado!!!!!!!
    beijos a todos

    ResponderExcluir
  11. Adorei as dicas, Nana! Realmente os gatos são imprevisiveis e independentes, e isso é o que me fascina neles!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  12. Oi Nanaaaaaaaaa!

    Passaei para dizer um Oi!
    Oi!

    Beijos e ótima semana para vc! Manda um beijo especial pra Ray! :)

    Cláudia e Ticos

    ResponderExcluir

Seu recado será lido com muito carinho !!!
Obrigada pela visita e volte sempre.
Bjs
Nana