quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Cristal está com tosse

video

Cristal tem uma tosse que só aperece de vez em quando... uma vez por semana mais ou menos (Que eu vejo)

Falei a tempos atras com o veterinário e ele na época não deu inportância.

Isso acontece com os gatucchos de vocês?

Até filmei para mostrar para a veterinária

Me dá uma dozinha dela toda vez que vejo!!!!!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Lindos Cachorrinhos para Adoção


Olhem que coisinhas mais fofas!!!
Se alguém quiser um destes fofuchos é só entrar em contato com a Mimi -9172 8713.
Serão entregues castrados, vacinados e vermifugados.

domingo, 20 de setembro de 2009

Meus Amores...compartilhando ....







Este final de semana aproveitei para tirar foto com meus amores....

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Luta contra o Abandono


Assim como a , e a Ana, resolvi aderir a esta campanha, não só por realmente não entender como alguém pode abandonar seus companheiros... sejam eles peludos, penados, cascudos ou pelados... rs
Queria aproveitar e deixar minha profunda admiração todas as pessoas que ajudam de alguma forma estes seres indefesos e abandonados... o pessoal da AUG, voluntárias como a Nice, as mães temporárias... Dê, Lu, Bia, a Pat do Gatinhos de Toda Parte, a Kika do Quatro Patinhas, Stela com seu temporários também e todas as outras que nem conheço ou sei o nome mas que agradeço seu envolvimento de alguma forma.
Eu adotei 3 e não acho que isso é suficiente... quero um dia poder ter uns temporários, ajudar a resgatar (isso já me coloquei a disposição).
Por enquanto, quando posso ajudo nas rifas que estão rolando e que são tão importantes para a continuidade destes trabalhos!!
"NÃO AO ABANDONO"
"SIM AO AMOR E AO CUIDADO E AO RESPEITO COM OS ANIMAIS"

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Rifa Quatro Patinhas - URGENTE!!


Olá Amigateiras:

A Kika do Quatro Patinhas (foto acima) está passando por um grande apuro.
Ela teve que retirar da noite para o dia (literalmente!), os gatos e cachorros da casa onde estavam ... os cachorros estão em um hotel e os gatos alguns na casa da Stela do Petetecos e outros em um apto que a Stela arrumou emprestado.

A Kika tem um sítio onde já tem muitos animais e agora ela precisa construir pelo menos mais dois cômodos para abrigar estes da casa.

Para isso a Stela está querendo fazer uma rifa.
Vamos ajudar?
Quem tiver algo que possa doar para ajudar no prêmio será bem vindo!!
Entrem em contato com a Stela no Blog do Petetecos, por favor!!
Obrigada!!

sábado, 12 de setembro de 2009

Gatinhos para Adoção - ajudando a divulgar

Estes gatuchos estão prontos para ganharem um lar.....
Pode ser o seu!!


Edward está há mais de 3 meses em lar temporário!
Ele é muito dócil com humanos, ronrona, amassa pãozinho, conversa...
É bem dominante e temperamental, difícil de adaptar com outros animais. Precisa ser gato único ou de alguém com paciência para fazer a adaptação.
Está em São Bernardo do Campo


Meninos para adoção
Huguinho, Zezinho e Luizinho foram para um lar temporário em São Paulo, zona Sul. São muito dóceis, brincalhões e sociáveis com outros gatos
Cesar também está em lar temporário, zona Norte de SP.
Ele não é mais tão apavorado. Ainda tem medo das pessoas mas é dócil, aceita colo, precisa apenas de um pouquinho de paciência para fazer amizade. Ele adora a companhia de outros gatos e é muito brincalhão!

Lindos não????
Todos estão esperando um lar amoroso e seguro!!!
Qual você vai escolher?
Entrem em contaro pelo site Cats Of Necropolis

terça-feira, 8 de setembro de 2009

FLORAIS DE BACH PARA USO EM GATOS


"Ajudar-nos-á efetivamente reservar poucos momentos diários para pensar serenamente na beleza da paz e nos benefícios da calma, e compreender que não é por meio da preocupação ou de ansiedade que poderemos realizar mais ; mas sim que nos tornamos mais eficientes em tudo o que empreendermos, com pensamentos e ações calmos e serenos ." Edward Bach.

Histórico do gato
Apesar de seus ancestrais existirem há mais de 12 milhões de anos, os gatos tornaram-se domesticados há cerca de 4 mil anos.

Os antigos egípcios foram os primeiros a usá-los no controle de animais daninhos que atacavam seus estoques de grãos.

No Egito, o gato era reverenciado como um deus. Foi na forma de um gato que o grande deus sol Rá venceu Apep, a serpente da escuridão.

A deusa Bast ou Pasht ou Bastet era representada por uma gata ou pela cabeça de uma gata. Bast tornou-se tão importante que, os gatos passaram a ser venerados por todo o Egito. Os egípcios achavam que ter um gato em casa era garantia de muitos filhos na família, porque a deusa Bastet era também a deusa do amor e da fertilidade.

Comê-los ou matá-los era considerado um crime.

Quando um gato doméstico morria no Egito antigo, os donos raspavam as próprias sobrancelhas em sinal de luto .

Os gatos no Egito eram mumificados e enterrados formalmente. Era ilegal contrabandear gatos para fora do Egito.

Na Idade Medieval a Igreja Católica associou o gato a satanás e, portanto, às bruxas. Dessa forma, gatos, principalmente de pelagem preta, foram perseguidos e sacrificados largamente.

O Renascimento foi considerado uma época áurea para os gatos - quase todas as residências tinham um, dos castelos aos casebres na periferia das cidades.

A partir do século XVIII voltaram a ser populares e adorados como animais domésticos.

Os sentidos do gato

- Visão:
É o mais importante ( embora alguns cientistas digam que é a audição) . Os olhos são grandes em comparação ao tamanho de seu crânio e, sua visão é extremamente sensível. Têm capacidade de observação de um campo amplo com um mínimo movimento.

Não têm muita sensibilidade à cor (menos que o cão) porém, têm vantagem para enxergar no escuro (os felinos em geral).

Estão aptos a enxergar em condições que poderíamos considerar de total escuridão.

- Audição:
É aguçada. As orelhas são manobráveis, moldadas e sulcadas para concentrar o som. Ao detectar o mais leve ruído, podem focalizar sua audição para a fonte.

Um gato, freqüentemente, pode localizar um objeto pelo som de sua queda, mesmo fora de sua visão. Os gatos podem distinguir e diferenciar sons mais do que nós. Os gatos ouvem as frequências altas com mais intensidade que as baixas, o que tem grande utilidade na caça de animais pequenos.

-Tato:
Bastante desenvolvido em todo o seu corpo – e, principalmente nas patas – as terminações nervosas respondem à mais leve pressão.

Bigodes, sobrancelhas e pelos longos no dorso das patas dianteiras transmitem ao cérebro as sensações de pressão.

- Paladar:
Não ocupa parte importante mas, eles têm preferências quanto a certos sabores.

- Olfato:
É muito desenvolvido. Parece proporcionar prazer – o gato abre a boca e aspira mais ar.

O odor é importante para a marcação do território e na identificação sexual.

Os gatos têm um órgão chamado vomeronasal no céu da boca que os ajuda a identificar odores.

- Equilíbrio:
O equilíbrio e a coordenação de um gato são insuperáveis. Costumam sobreviver a quedas de mais de 20 metros. Possuem o reflexo de cair em pé. Os olhos e os órgãos de equilíbrio estão localizados no ouvido interno – situam o gato no espaço e lhe permitem “aterrisar” em pé.

Comportamento do gato

Os gatos vivem em sociedade matriarcal, ou seja, têm um sistema centrado na mãe que é dominante sobre sua descendência ( a “massagem” ou movimento de ordenha, é algo que vem da infância dos gatinhos – quando estimulavam a saída do leite da mãe, massageando-a. Esses momentos com a mamãe gata são de prazer total e, ele pode fazer isso em seu dono, indicando que o vê como mãe postiça ).

Vivem num grupo unido e, dificilmente, aceitam a intrusão de gatos de fora.

Comunicam-se pelo odor, através da urina.

A arranhadura é uma marca visual onde são depositadas algumas secreções das glândulas entre os dedos e significa presença.

Esfregando as bochechas, o dorso e a base do rabo, o gato deposita outras marcações de odor e são de familiarização.

A hierarquia é, principalmente, linear. Não se tem uma dominância completa. Um gato pode dominar o acesso à alimentação mas, ser dominado por outro, no acesso à poltrona da sala. Demarcam território através da urina. E, não gostam de compartilhar o território.

O gato continua caçador, embora não coma mais a caça (rato, etc.).

A menos que um gato seja encurralado, ele raramente entrará numa briga verdadeira. Assume uma postura agressiva ou de ataque, com sibilações ou bufadas que, impressionam o opositor.

O gato consegue se readaptar e sobreviver na natureza caçando.

Os gatos são melindrosos. São asseados e gostam do ambiente onde vivem limpo. Limpeza pessoal é importante para um gato.

Os gatos também limpam o ambiente astral, das energias negativas.

Não gostam de barulhos fortes e movimentos bruscos.

Hábitos marcantes quanto a horários e disposição da mobília.

Possuem senso de humor. Compartilham uma brincadeira mas, não gostam de ser ridicularizados.

A sociabilização ocorre entre 2 e 9 semanas.

O gato não vê o ser humano como parte do seu grupo. O homem, precisa conquistar o gato. A sociabilização deve ocorrer com cada integrante da casa.

Florais de Bach para Animais

As essências florais de Bach são um método simples e natural de tratar através do uso de certas flores silvestres. As essências que, tratam das desordens da personalidade do animal e não da condição física individual, foram descobertas pelo Dr. Edward Bach, médico inglês, por volta dos anos 30.

Depois de praticar durante muitos anos uma medicina convencional e, também, numa linha homeopática, o Dr. Bach foi levado a perceber que o que caracterizava as desordens físicas das pessoas, não era tanto as muitas categorias de doenças mas, as condições mentais que as geravam. Com os animais também é assim.

Alguns anos depois ele estava apto a reconhecer essas condições mentais e descobriu uma essência floral para cada caso. Essas essências foram descobertas nas flores silvestres e nas árvores do campo.

As essências de Bach não usam o material físico da planta mas, a energia essencial que se encontra dentro da flor. Essa energia é extraída das flores pelos métodos solar e fervura e, acondicionada em água – para os animais (para humanos água e conhaque de uvas).A substância sutil assim extraída é usada para tratar a causa da doença num nível também sutil. As essências de Bach tratam a causa mental da doença. Os remédios florais são energia. Eles tratam o doente e não a doença. As essências são vibracionais.

Princípios básicos das essências florais de Bach

elas tratam o animal e não a doença

é um sistema simples, natural e efetivo

podem ser usados junto com qualquer outro tratamento (o sistema de Bach é complementar e não alternativo)

a efetividade pode ser observada em indivíduos inconscientes, em estado de coma, crianças, animais e plantas.

não substituem a medicina veterinária ortodoxa.

Administrando a essência floral

- uso a curto prazo:
emergências
casos agudos

- uso a longo prazo:
casos crônicos

Tratamentos

recomenda-se, no máximo, 6 essências por fórmula, por frasco

rescue remedy conta como uma essência

dose; 4 gotas – ou a critério do terapeuta

freqüência: 4 vezes ao dia ou a critério do terapeuta

período – por, pelo menos, 30 dias cada frasco de tratamento ou a critério do terapeuta.

Métodos de administração

Direto na boca, na água do bebedouro, misturar na ração, borrifador, na água do banho, esfregar nas gengivas, parte interna das orelhas caso o animal esteja inconsciente, compressas para ferimentos abertos, no soro fisiológico para os olhos.

Para os animais, o álcool não é usado (o conhaque de uvas só é usado para humanos, a 30%). O Bach Centre (Inglaterra) não aconselha nenhum conservante para os animais : álcool de cereais, vinagre de maçã, conhaque ou glicerina.

Para os animais, só água mineral (não pode ser destilada, ozonizada, gasosa ou clorada) e as essências. Para durar um pouco mais, deve-se guardar em geladeira.

Escolhendo a essência floral

-comunicação verbal – sons que os animais emitem

- comunicação não verbal – relato do proprietário

- A observação constante e o conhecimento prévio do comportamento no animal direcionam para o que está alterado.

É preciso estar atento a:
-raça
-comportamento individual
-comportamento junto ao proprietário
-relacionamento com o meio

Essências de Bach

Os 38 remédios do Dr. Bach foram classificados por ele em 7 grupos:

ESTA TERAPIA NÃO SUBSTITUI O TRATAMENTO COM O VETERINÁRIO.

1- grupo do medo
mimulus, rock rose, cherry plum, aspen, red chestnut

2- grupo da incerteza e da insegurança
cerato, scleranthus, gentian, gorse, hornbeam, wild oat

3- grupo da falta de interesse no presente
clematis, honeysuckle, wild rose, olive, white chestnut, chestnut bud, mustard

4- grupo da solidão
water violet, impatiens, heather

5- grupo da hipersensibilidade às influências e idéias externas
agrimony, centaury, walnut, holly

6- grupo do desalento e desespero
larch, pine, elm, sweet chestnut, star of Bethlehem, willow, oak, crab apple

7- grupo do cuidado excessivo com os outros ou grupo dos poderosos
chicory, vervain, vine, beech, rock water

Há também o RESCUE e o RESCUE CREAM original que, não pertencem a nenhum grupo.
Dra. Martha Follain.
http://www.greepet.vet.br/florais_gatos.php

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Pensando em adquirir um gato



Alexandre Rossi explica o que você deve levar em consideração antes de fazer a sua escolha Existe um preconceito muito grande com relação aos gatos. Mas, após conhecê-los realmente, muitas pessoas se tornam amantes de tais criaturas.
Sem dúvida nenhuma, os gatos são diferentes dos cães e qualquer pessoa que espere um comportamento igual poderá se decepcionar.

Gatos são mais independentes, donos das próprias vontades -- não se submetem ao ser humano com tanta facilidade. Mas isso não quer dizer que eles não se apegam a pessoas, que são interesseiros e falsos, como muita gente costuma falar.
As diferenças comportamentais entre cães e gatos são fruto do diferente modo de vida que cada um levava.

Os ancestrais dos gatos caçavam animais menores que eles, como ratos e passarinhos. Por isso, podiam caçar sozinhos.

Já os ancestrais dos cães caçavam também animais grandes. Para eles, fazer parte de um grupo era questão de sobrevivência, enquanto que para o gato não era.

Daí vem a necessidade de o cão estar sempre por perto do grupo dele ou de seu "proprietário", enquanto que para o gato nunca existiu essa preocupação.

Mesmo não havendo mais necessidade de caçar para se alimentar, tanto os cães como os gatos mantêm comportamentos que já foram essenciais para a sua sobrevivência.

Independência e apego

Apesar de mais independente, o gato também se apega a pessoas, reconhece os seus proprietários, dá carinho e procura companhia. Há quem julgue os cães dependentes demais, querendo sempre chamar a atenção, nunca dispostos a ficar sozinhos. Pessoas assim podem até se sentir "sufocadas" por cães e encontrar nos gatos uma companhia ideal.

Território

De certa forma, os gatos são até mais territoriais que os cães: a maioria dos felinos não relaxa até conhecer bem seu espaço. Demonstrações de carinho só ocorrem depois de o gato ter se adaptado ao ambiente. Antes disso, estará estressado, preferirá ficar sozinho e, para se desvencilhar, poderá arranhar e morder até mesmo pessoas conhecidas.

Higiene e cheiro

Extremamente limpos, os gatos são quase obstinados por limpeza. Exceto algumas raças de pêlo longo, são capazes de se limpar perfeitamente. Têm instinto de enterrar as fezes e a urina e, por isso, são facilmente treinados a usar uma caixinha de areia como banheiro.

Levar para passear

Facilmente o gato se sente desprotegido em ambiente novo. Por isso, não costuma ser muito fácil passear com ele, pelo menos da mesma maneira que se passeia com um cão. O gato se assusta com mais facilidade, atrapalhando a marcha constante durante o passeio.

Elegantes e discretos

Gatos são de uma elegância notável e se deslocam discretamente. Embora mais silenciosos que os cães, quando não castrados podem se tornar bastante barulhentos na época do cio, tanto machos como fêmeas, emitindo miados longos e contínuos.

Grandes saltadores

Por saltar mais alto e escalar melhor que o cão, o gato escapa com mais facilidade para a rua. Mantê-lo sem acesso à área externa e colocar telas nas janelas são recursos adotados por algumas pessoas para evitar o problema. Mesmo porque, em um apartamento, saltar pela janela ou cair dela pode resultar em acidente fatal.

Cuidado com os móveis

Raspar as unhas é uma necessidade para os gatos. Muitas vezes, eles escolhem estofamentos para fazê-lo. Existem arranhadores no mercado que podem ajudar a preservar a mobília. Mesmo assim, às vezes, é necessário supervisionar o felino até ele aprender a arranhar somente no arranhador.

Vira-lata ou de raça

Existem diversas raças de gatos, algumas mais calmas como o Persa e outras mais agitadas como o Siamês. Os vira-latas também constituem uma boa opção, já que costumam ser saudáveis e resistentes a doenças.

Gatos muito peludos exigem maiores cuidados de limpeza e escovação. Os de pêlo curto raramente necessitam de banho.

Filhote ou adulto

Filhotes são mais brincalhões e demandam mais cuidado, atenção e socialização. Os gatos adultos podem se adaptar perfeitamente a novos ambientes e se tornar bastante apegados a novos donos. Uma vantagem de adquirir um exemplar adulto é que o temperamento já está definido. O filhote ao crescer pode se tornar mais medroso e arredio do que se gostaria.

Macho ou fêmea

Gatos, principalmente machos, podem demarcar a casa com urina. Para evitar que isso ocorra, recomenda-se a castração.